Saúde

Psoríase: entenda as causas, sintomas e controle da doença

Psoríase: entenda as causas, sintomas e controle da doença Psoríase é comum nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo (Foto: Jacopo188/Wikimedia Commons)Psoríase é comum nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo (Foto: Jacopo188/Wikimedia Commons)

Talvez você nunca tenha ouvido falar da psoríase, mas pode ter conhecido alguém que teve a doença, uma das mais comuns do planeta. Só no Brasil são mais de 5 milhões de pessoas afetadas, segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O problema se manifesta, principalmente, como lesões e manchas dermatológicas em placas descamativas, nas quais há coceira, vermelhidão e até dores.

Mas, afinal, o que é a psoríase? Trata-se de uma enfermidade crônica, inflamatória e autoimune. Ou seja, uma reação do próprio organismo. Ocorre com mais frequência na pele dos cotovelos, joelhos e couro cabeludo, mas também pode aparecer nas mãos, pés e unhas.

Contudo, não é restrita à derme, podendo afetar órgãos, articulações e provocar doenças cardiovasculares e alteração da pressão. "A psoríase deixou de ser classificada como uma doença de pele e hoje é uma doença sistêmica", diz à GALILEU Roberto Souto, dermatologista. "Com a artrite psoriática, por exemplo, a pessoa pode apresentar restrição dos movimentos."

Psoríase também pode atingir mãos e unhas  (Foto: Flickr/Psoriasis-Netz/Creative Commons)Psoríase também pode atingir mãos e unhas (Foto: Flickr/Psoriasis-Netz/Creative Commons)

Além do desconforto físico, a enfermidade pode atrapalhar o convívio social do paciente, afetando relações familiares, de trabalho e até a autoestima. De acordo com a pesquisa global CLEAR4, cerca de 85% das pessoas com psoríase já se sentiram discriminadas. No Brasil, este número é de 94%.

Para o dermatologista Souto, parte disso é causada pela falta de informação, principalmente porque ainda há quem acredite que a doença é contagiosa. A psoríase, no entanto, é "ativada" pela predisposição genética e fatores externos, tais como o tabagismo, consumo de álcool, estresse emocional, obesidade e o uso de alguns remédios.

Tratamento
Por ser uma doença autoimune, não tem cura. Porém, com acompanhamento médico, pode ser controlada. "Isso vai de acordo com cada pessoa", afirma Souto. O controle pode ser feito com intervenção utópica (cremes e pomadas), medicamentos, injeções e fototerapia – exposição da pele à luz ultravioleta.

Lesão de psoríase (Foto: Eisfelder/Wikimedia Commons)Lesão de psoríase (Foto: Eisfelder/Wikimedia Commons)

Leia também:
+ Amigos ou rivais? Desvendamos 8 mitos sobre cuidados com a pele
+ Hanseníase: as causas, sintomas e tratamentos da doença de pele
Durante o tratamento, é essencial que a pele seja hidratada com produtos indicados por um profissional de saúde. O dermatologista alerta que receitas caseiras podem queimar a derme e piorar a situação. Em alguns casos, é indicado tomar sol, mas isso varia para cada paciente, pois o excesso de luz solar pode ser perigoso.

Além disso, é recomendável adquirir hábitos mais saudáveis, e coçar as lesões é proibido. De acordo com o Souto, o tratamento sempre será baseado no estilo de vida de cada paciente. Ou seja, o método que funcionou com seu amigo pode não ser o melhor para você.

A doença
A psoríase é classificada em diferentes níveis, tais como leve, média, moderada e grave. Pesquisadores ainda não sabem com certeza como ela se forma, mas acredita-se que os linfócitos T – glóbulos de defesa do organismo – liberam substâncias inflamatórias e formadoras de vasos. Com isso, o corpo dilata vasos sanguíneos, que são infiltrados com células chamadas neutrófilos.

Caso mais grave de psoríase, com lesões bem avermelhadas pelo braço (Foto: Pixabay/Hans/Creative Commons)Caso mais grave de psoríase, com lesões bem avermelhadas pelo braço (Foto: Pixabay/Hans/Creative Commons)

"Como as células da pele estão sendo atacadas, sua produção também aumenta, levando a uma rapidez do seu ciclo evolutivo, com consequente grande produção de escamas devido à imaturidade das células", informa o site da SBD. O ciclo não permite a eliminação completa das células mortas, o que acaba gerando as manchas e lesões na pele.

Pele Sem Psoríase
Por ser uma das doenças mais comuns no mundo, a entidade Psoríase Brasil criou a campanha "Pele Sem Psoríase", que busca conscientizar a população sobre as causas, sintomas e controle da doença. "O objetivo é desmistificar a psoríase, ressaltando a importância do diagnóstico precoce", destaca Souto. Para saber mais sobre as ações, acesse o portal www.pelesempsoriase.com.br

Leia também:
+ Você sabe qual é o seu tipo de pele? Olhe o nosso guia e descubra
+ Sete mitos e verdades sobre a pele saudável

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

Compartilhar Assine já!
Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu