Saúde

EUA não assinam acordo que regulamenta exportação de lixo plástico

EUA não assinam acordo que regulamenta exportação de lixo plástico Mais de 180 países fecham acordo para restringir envio de lixo plástico para países em desenvolvimento (Foto: Pixabay)Mais de 180 países fecham acordo para restringir envio de lixo plástico para países em desenvolvimento (Foto: Pixabay)

Em Genebra, na Suíça, 187 países assinaram um novo acordo chancelado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que busca regulamentar a exportação de resíduos plásticos no mundo. Os Estados Unidos, no entanto, não participaram da iniciativa, embora sejam os maiores produtores de lixo plástico do mundo, segundo o Fundo Mundial para a Natureza (WWF, sigla em inglês).

A proposta apresentada pela ONU é de acrescentar o plástico misto à Convenção da Basileia sobre o Controle de Movimentos Transfronteiriços de Resíduos Perigosos e seu Depósito, tratado cujo objetivo é dificultar a exportação de resíduos perigosos para países em desenvolvimento sem a permissão dos governos locis.

De acordo com o tratado, a partir de 2020, os países exportadores de plástico precisarão do consentimento das nações importadoras quando se trata de resíduos contaminados e não recicláveis. Haverá assim maior transparência e regulação para garantir o manejo de resíduos plásticos de modo seguro para a saúde humana e para o meio ambiente.

De acordo com Rolph Payet, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o acordo “histórico” significa que os países terão que monitorar a movimentação de seus resíduos plásticos fora de suas fronteiras.

"Isso está enviando um forte sinal político para o resto do mundo — para o setor privado, para o mercado consumidor — de que precisamos fazer alguma coisa", observou Payet.. "Os países decidiram fazer algo que se traduzirá em ação real", acrescentou.

Leia também:
+Baleia aparece morta na Itália após engolir 23kg de plástico
+Cientista transforma resíduos de plástico em gasolina

Até mesmo os países que se recusaram a assinar o tratado, como os Estados Unidos, podem ser afetados, pois eles não poderão enviar resíduos plásticos para outras nações que assinaram o acordo. O tratado afeta ainda os produtos usados em uma ampla gama de setores, como saúde, tecnologia, aeroespacial, moda e alimentos e bebidas.

Atualmente, segundo as Nações Unidas, pelo menos 8 milhões de toneladas de plástico são despejados nos oceanos todos os anos. Mais de 8,3 bilhões de toneladas do material foram produzidas em todo o mundo desde o início dos anos 50 e cerca de 60% de todo o plástico acaba no meio ambiente ou em aterros.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

Compartilhar Assine já!
Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu