Saúde

Guerra do ar condicionado: mulheres trabalham melhor em ambientes quentes

Guerra do ar condicionado: mulheres trabalham melhor em ambientes quentes ar condicionado (Foto: Pixabay)(Foto: Pixabay)

Um novo estudo sugere que as mulheres têm desempenho mais elevado em ambientes de trabalhos com temperaturas mais elevadas. Mais de 500 estudantes voluntários realizaram testes lógicos, matemáticos e verbais em busca de uma explicação biológica para a famosa "guerra do ar condicionado" nas empresas.

Os participantes foram colocados em uma sala resfriada ou aquecida a uma faixa de temperaturas entre 16 e 32 graus Celsius, recebendo prêmios em dinheiro com base no número de perguntas respondidas corretamente.

Leia também:
+ Como a ciência pode resolver a "guerra do ar condicionado" nas empresas
+ Novo tratamento pretende regenerar o coração após um ataque cardíaco

Os autores descobriram que as alunas geralmente apresentavam um melhor desempenho nos testes quando a temperatura ambiente estava mais elevada — elas respondiam mais questões e também acertavam mais. Por outro lado, os homens se saíram melhor no frio: em temperaturas mais elevadas, enviaram menos respostas e acertaram menos. Por outro lado, a temperatura não pareceu impactar o desempenho nos testes de lógica.

Em artigo sobre a pesquisa, os autores sugerem que a climatização dos espaços pode gerar maiores impactos nas relações profissionais do que apenas uma questão de conforto: "[É possível que] variações comuns na temperatura ambiente possam afetar o desempenho cognitivo de forma significativa e diferente para homens e mulheres".

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

Compartilhar Assine já!
Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu