Saúde

’13 Reasons Why’: Netflix remove cena do suicídio de Hannah Baker

'13 Reasons Why': Netflix remove cena do suicídio de Hannah Baker Hannah Baker ( Katherine Langford) na série '13 Reasons Why' (Foto: Divulgação)Hannah Baker ( Katherine Langford) na série '13 Reasons Why' (Foto: Divulgação)

A cena do suicídio da personagem Hannah Baker (Katherine Langford), na primeira temporada de 13 Reasons Why, foi removida pela Netflix, segundo anúncio no Twitter da plataforma de streaming. A cena, na qual a jovem entra em uma banheira e corta os pulsos, tem gerado polêmica desde 2017, quando a estreia da série ocorreu.

Com a mudança, o momento do suicídio foi inteiramente cortado: agora Baker apenas aparece no banheiro, olhando fixamente no espelho, e posteriormente surge morta. A Netflix pretende derrubar vídeos que sejam publicados com a cena original na internet.

Segundo anúncio da empresa, a remoção foi feita após conselhos de especialistas médicos. O criador da série, Brian Yorkey, e os produtores de 13 Reasons Why concordaram.

Em entrevista à revista norte-americana The Hollywood Reporter, Yorkey contou que a expectativa ao fazer o seriado era “colocar em uma série de TV uma história que ajudasse os jovens a se sentirem vistos e encorajados a ter empatia”.

"Nossa intenção criativa era dar um retrato da feia e dolorosa realidade do suicídio na primeira temporada, para contar a verdade sobre um ato tão horroroso, e garantir que ninguém gostaria de repeti-lo”, afirmou o criador da série. “Mas, conforme estamos caminhando para lançar a terceira temporada, tivemos preocupações”.

Hannah Baker ( Katherine Langford) na série '13 Reasons Why' (Foto: Divulgação)Hannah Baker ( Katherine Langford) na série '13 Reasons Why' (Foto: Divulgação)

Leia Também:
+'13 Reasons Why' trouxe impacto positivo aos jovens, revela pesquisa
+Estudo aponta queda de um terço na taxa global de suicídios em 30 anos

Em maio deste ano, estudos mostraram que os números de pessoas que tiraram suas próprias vidas nos Estados Unidos aumentaram após a estreia da série. Um deles, publicado na revista Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, estimou que ocorreram 195 suicídios a mais – um aumento de quase 29% – entre os adolescentes de 10 a 17 anos de idade nos nove meses seguintes ao lançamento da produção.

À Agence France-Presse (AFP), a Netflix afirmou que “especialistas concordam que não existe uma única razão para as pessoas tirarem suas próprias vidas – e que as taxas de adolescentes que tomam essa atitude vêm aumentando tragicamente nos Estados Unidos nos últimos anos”.

Em 2018, a pedido do serviço de streaming, um grupo de pesquisadores da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, pesquisou como a série impactou a vida de mais de 5 mil pessoas. O resultado foi animador: 58% dos adolescentes participantes do estudo declararam se sentir mais confortáveis para conversar com seus pais sobre temas difíceis.

Acompanha tudo da GALILEU? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais, o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Compartilhar Assine já!
Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu