Saúde

Cientistas encontram tratamento para a perda de cabelo causada pela quimioterapia

Estudo pode ajudar no tratamento da queda de cabelo de pacientes que fazem quimioterapia (Foto: Pexels/Creative Commons)Estudo pode ajudar no tratamento da queda de cabelo de pacientes que fazem quimioterapia (Foto: Pexels/Creative Commons)

Pesquisadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido, identificaram uma nova estratégia para proteger os folículos capilares (onde está a raiz do cabelo) da quimioterapia, terapia contra o câncer que normalmente provoca a queda de cabelo nos pacientes por conta dos medicamentos utilizados durante o procedimento.

O estudo, publicado na revista EMBO Molecular Medicine, descreve como os danos no folículo piloso (estrutura do cabelo) causados ​​pelos taxanos — medicamentos contra a doença que causam a queda de cabelo permanente — podem ser prevenidos. Eles são comumente usados ​​para tratar, por exemplo, carcinoma de mama ou pulmão.

Os cientistas exploraram as propriedades de uma classe mais nova de remédios, chamada inibidores de CDK4/6, que bloqueia a divisão celular. “Embora a princípio pareça contra-intuitivo, descobrimos que os inibidores da CDK4/6 podem ser usados ​​temporariamente para interromper a divisão celular sem promover efeitos tóxicos no folículo piloso", explicou Talveen Purba, principal autor da pesquisa. "Quando banhamos folículos capilares do couro cabeludo humano cultivados com inibidores da CDK4 / 6, os folículos capilares eram menos suscetíveis aos efeitos prejudiciais dos taxanos."

Segundo Purba, as células da base do folículo piloso, essenciais para a produção do cabelo, e as células-tronco das quais elas surgem são mais vulneráveis ​​aos taxanos. "Portanto, devemos proteger essas células principalmente dos efeitos indesejados da quimioterapia, mas para que o câncer não lucre com isso."

saiba mais

  • Cera de ouvido ajuda a detectar câncer, sugere estudo brasileiro
  • Cientistas modificam células sanguíneas para torná-las resistentes ao HIV

Os pesquisadores esperam que este trabalho apoie o desenvolvimento de medicamentos que retardem ou suspendam brevemente a divisão celular nos folículos capilares. Isso poderia aumentar a eficácia de abordagens preventivas existentes, como dispositivos de resfriamento do couro cabeludo.

"Apesar do fato de que os taxanos são usados ​​há décadas, e se sabe que causam queda de cabelo, só agora estamos entendendo como eles danificam o folículo piloso humano", disse o Purba. "Também não sabemos realmente por que alguns pacientes apresentam maior queda de cabelo do que outros, apesar de receberem o mesmo medicamento e a mesma dose, e por que certos regimes de quimioterapia e combinações de medicamentos têm resultados muito piores do que outros."

O pesquisador acrescentou que busca desenvolver mais estudos para promover a regeneração folicular em pacientes que já perderam o cabelo devido à quimioterapia.

Leia edições e matérias exclusivas da GALILEU no Globo Mais, o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu