Saúde

Garoto de 9 anos vai se formar engenheiro em faculdade da Holanda

O belga Laurent Simons, de 9 anos, quer fazer doutorado e estudar medicina (Foto: Reprodução/Instagram)O belga Laurent Simons, de 9 anos, quer fazer doutorado e estudar medicina (Foto: Reprodução/Instagram)

Com apenas nove anos de idade, o belga Laurent Simons vai se formar em engenharia elétrica na Universidade de Tecnologia de Eindhoven (TUE), na Holanda, em dezembro. Após a graduação, ele ainda pretende começar um programa de doutorado em engenharia elétrica e estudar medicina.

Os pais do garoto, Lydia e Alexander Simons, são médicos e não sabem como ele consegue absorver tanto aprendizao. "Nos disseram que ele é como uma esponja", disse Alexander à CNN.

O casal contou que os professores e os avós de Laurent perceberam que ele era telentoso na sala de aula e para fazer as lições de casa. O menino realizou diversos testes que apontaram a sua facilidade aprender novas informações.

saiba mais

  • Criança inglesa de três anos tem QI mais alto que Einstein e Hawking
  • Estudo revela as desvantagens de ser muito inteligente

A TUE permitiu que Laurent concluísse o curso mais rapidamente do que outros estudantes. "Isso não é incomum. Alunos especiais que têm boas razões podem organizar um cronograma ajustado", revelou Sjoerd Hulshof, diretor de educação do bacharelado em engenharia elétrica da universidade.

O progresso de Laurent não passou despercebido e ele já está sendo procurado por instituições de ensino renomadas em todo o mundo. Seus pais, no entanto, não divulgaram quais faculdades o menino está considerando para fazer o doutorado.

Eles também afirmaram à CNN que estão tomando cuidado para que o garoto possa ter momentos de diversão como qualquer criança precisa. "Não queremos que ele fique muito sério. Precisamos encontrar um equilíbrio entre seus talentos e ser criança", comentou o pai.

Laurent gosta de brincar com seu cachorro, chamado Sammy, e usar seu smarthphone. Para a carreira, ele já sabe o que quer fazer: desenvolver órgãos artificiais.

Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu