Saúde

Cientistas estudam microgravidade para tratar diversos tipos de câncer

Protótipo de microgravidade criado pelos pesquisadores (Foto:  Sissy ReyesUniversidade de Tecnologia de Sydney)Protótipo de microgravidade criado pelos pesquisadores (Foto: Sissy ReyesUniversidade de Tecnologia de Sydney)

Um time de pesquisadores australianos, liderados pelo cientista Joshua Chou, da Universidade de Tecnologia de Sydney, está em busca de um novo tratamento para o câncer – e eles acreditam que a resposta pode estar na microgravidade do espaço.

Um experimento feito pelos pesquisadores será levado à Estação Espacial Internacional (ISS) em 2020. Por enquanto, os cientistas só realizaram experimentações na Terra, nas quais células cancerígenas foram centrifugadas em laboratório.

Dentro de um contêiner do tamanho de uma caixa de lenços, as células afetadas pelo câncer foram misturadas em uma centrífuga que simula os efeitos da baixa gravidade espacial. Os resultados obtidos com o apetrecho foram bem animadores, segundo os cientistas.

saiba mais

  • Esperma congelado pode sobreviver no espaço, diz estudo
  • Astronautas cozinharão cookies na Estação Espacial Internacional

“Descobrimos que quando colocadas em ambiente de microgravidade, de 80% a 90% das células nos quatro tipos de câncer testados – ovariano, de mama, nariz e pulmão – foram inibidas”, disse Chou, em comunicado.

Astronautas experimentam condições de microgravidade diariamente na ISS. Na foto, um tripulante realiza um exame no laboratório espacial  (Foto: NASA)Astronautas experimentam condições de microgravidade diariamente na ISS. Na foto, um tripulante realiza um exame no laboratório espacial (Foto: NASA)

O especialista explicou que, uma vez na baixa gravidade, as células cancerígenas morrem ou passam a flutuar. Assim, durante o experimento, elas foram incapazes de identificar umas às outras – e o risco de se aglomerarem e formarem um tumor diminuiu.

No próximo ano, enquanto os testes estiverem sendo realizados na ISS, os cientistas irão monitorar os resultados durante sete dias a partir da Terra. Assim que o trabalho tiver concluído, as células cancerígenas que foram enviadas ao espaço serão congeladas e examinadas para verificar se ocorreu alguma mudança genética.

Se tudo der certo, o exame pode ajudar na criação de um método complementar para tratar diferentes tipos de câncer. Combinada à quimioterapia e ao uso de outros medicamentos, simulações de microgravidade podem ser uma inovação da medicina do futuro.

Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu