Saúde

Por que sonhamos? Saiba o que a ciência e a história têm a dizer

Dossiê - sonhar (Foto: ilustração: Carlo Giovani)Dossiê – sonhar (Foto: ilustração: Carlo Giovani)

Definir o que é um sonho não é tarefa fácil. Simplificando, é aquilo que você vê e escuta enquanto dorme. No livro "A Interpretação dos Sonhos", o criador da psicanálise, Sigmund Freud (1856-1939), argumentou que os sonhos são mensagens do inconsciente sobre os desejos reprimidos. Já Carl Jung (1875-1961), colega de Freud que contestou muitas de suas ideias, sugeriu que os sonhos tinham uma finalidade: seriam uma tentativa da própria consciência para regular e compensar situações vividas.

saiba mais

  • Tem apneia do sono? A solução pode estar em perder gordura na sua língua

Os sonhos ficaram no imaginário de diversos pensadores por muito tempo, mas foi somente nos anos 1950 que o processo onírico ganhou mais análises científicas, impulsionadas pela descoberta do sono REM (sigla para rapid eye movement, ou movimento rápido dos olhos) por pesquisadores da Universidade de Chicago. É nessa fase que a atividade cerebral está mais agitada, ocasionando os sonhos mais vívidos.

A partir desse avanço, surgiram mais hipóteses para a função dos sonhos. A mais difundida é que eles servem para a consolidação de memórias. “No sono, revivemos o que aconteceu no dia, associando com experiências passadas”, diz Gabriel Pires, médico e pesquisador do Instituto do Sono. “Mas há uma discussão teórica sobre o que é exatamente o sonho: o evento fisiológico do processamento de memória ou a percepção dele?”

Para o neurocientista Sidarta Ribeiro, do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, autor do recém-lançado "O Oráculo da Noite" (Companhia das Letras), os sonhos são um aprendizado “lento e gradual que provavelmente começa no útero materno, com a formação das primeiras representações sensoriais na fronteira do corpo com o mundo exterior”.

A história do sonho
Acredita-se que a história do sonho seja paralela à da presença de vida na Terra. “Os sonhos evoluíram depois de um longo processo de desenvolvimento do sono, ainda no início da vida multicelular”, aponta Sidarta Ribeiro.

Registros históricos mostram que as civilizações mais antigas já os interpretavam como ensinamentos de antepassados ou profecias. É o caso da história que envolve a morte do imperador romano Júlio César: sua esposa, Calpúrnia, teria relatado um sonho com o assassinato do marido um dia antes do acontecido, no ano de 44 a.C. “Essa era a ferramenta que os humanos tinham para tentar prever o futuro”, comenta Ribeiro. “Sonhos são reflexo do passado, mas, ao mesmo tempo, aquilo que de fato poderia acontecer no futuro.”

Mas a ciência não consegue dizer o porquê de cada elemento, como preza o conhecimento popular [confira lista abaixo]. “Não existe nenhum diagnóstico clínico que pode atribuir significado ao sonho”, destaca Gabriel Pires.

saiba mais

  • Homens jovens que dormem mal são mais propensos a ter Alzheimer
  • Memória funciona melhor (ou pior) dependendo da hora do dia, sugere estudo

Sonhos com animais
Conheça os bichos mais associados com buscas de sonhos na internet brasileira

1. Cobra
Levantamento da SEMrush, empresa de marketing digital, aponta que entender o significado de sonhos com serpentes é a principal busca online dos brasileiros no segmento. Foram 1,4 milhão de pesquisas de janeiro de 2018 a julho de 2019.

2. Rato
A diferença entre o primeiro lugar e o segundo é gritante: no mesmo período, foram 335 mil buscas para saber o que representa sonhar com roedores. Na sabedoria popular, a presença do animal poderia indicar algo negativo.

3. Sapo
No período da pesquisa, cerca de 292 mil buscas foram realizadas para tentar entender o significado de sonhos com o anfíbio. Assim como no caso do rato, o conhecimento popular interpreta a presença do animal como algo negativo.

4. Peixe
Espécies de água salgada e doce também têm seu espaço no imaginário dos brasileiros: foram 236 mil buscas detectadas pelo estudo da SEMrush. Já nesse caso, a teoria popular sugere que o bicho simboliza boas notícias.

5. Aranha
Os aracnídeos ficaram na quinta posição no levantamento, com um total de 235 mil pesquisas. Outros animais, como cachorro, escorpião, gato e até piolho, entram no ranking, nesta ordem, respectivamente.

Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu