Saúde

Estudos sugerem que asma não está entre fatores de risco para Covid-19

Estudo sugere que asma não está entre fatores de risco para Covid-19 (Foto: Pixabay)Estudo sugere que asma não está entre fatores de risco para Covid-19 (Foto: Pixabay)

A asma aparentemente não está entre os principais fatores de risco para a infecção pelo novo coronavírus. Segundo informações fornecidas ao The New York Times pelas autoridades norte-americanas, apenas 5% dos mortos por Covid-19 na cidade de Nova York eram sabidamente portadores da condição.

A conclusão foi resultado de observações feitas pelos profissionais de saúde dos hospitais da cidade e são corroboradas por um estudo publicado em fevereiro deste ano no European Journal of Allergy and Clinical Immunology. Na pesquisa, médicos chineses constataram que, em um grupo de 140 pessoas hospitalizadas com Covid-19 em Wuhan, nenhuma tinha asma.

saiba mais

  • É preciso diferenciar se Covid-19 é causa ou fator de morte, diz estudo
  • Como funciona o processo de doação de sangue durante a pandemia?

Em um comentário publicado na The Lancet por um grupo de pesquisadores europeus, os profissionais afirmaram considerar impressionante que a asma não esteja entre os fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Eles criaram três explicações para o fato:

A primeira é que houve um "subdiagnóstico substancial ou um reconhecimento insuficiente" da doença respiratória crônica em pacientes com a Covid-19. A segunda é que ter asma protege contra o coronavírus, pois desperta uma "resposta imune diferente" nesses pacientes. Por fim, a terceira é que tratamentos realizados por pacientes com asma ao longo dos anos amenizem os sintomas da infecção.

saiba mais

  • Algoritmo analisa quarentenas e prevê redução de infecções por Covid-19
  • O que dizem estudos que contestam eficácia da cloroquina contra Covid-19

Entretanto, as autoridades em saúde ressaltam que quem não tem asma não deve se automedicar com remédios para tratar a condição. Além disso, quem tem a doença respiratória crônica não deve parar os tratamentos em andamento ou "afrouxar" as medidas profiláticas.

"Ainda não sabemos se as pessoas com asma são mais suscetíveis a resultados graves ao contraírem a Covid-19", escreveu Christine Jenkins, da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, em texto publicado no The Conversation.

saiba mais

  • Covid-19 é menos mortal do que se pensava, mas não é "só uma gripe"

De fato, mesmo após os resultados dos novos estudos, as autoridades norte-americanas disseram que pouco se sabe sobre a probabilidade de pacientes com asma desenvolverem quadros mais graves da infecção. "A Covid-19 pode afetar seu trato respiratório (nariz, garganta, pulmões), causar um ataque de asma e possivelmente levar a pneumonia e doenças respiratórias agudas", explica o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA em seu site.

J. Allen Meadows, presidente do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia, disse o mesmo ao The New York Times: "Como os coronavírus comuns nos Estados Unidos e a gripe desencadeiam crises de asma em pacientes bem controlados, podemos esperar que a Covid-19 seja semelhante".

Veja essa e outras matérias no site da Revista Galileu